Quinta T2 x 4 – Bissau

Fantástica quinta composta por edifício de 4 apartamentos de tipologia T2, piscina e mais de 20.000m².

Esta incrível propriedade, permite a construção de mais 4 edifícios, podendo transformar este agradável espaço em condomínio privado, hotel, aparthotel ou até mesmo lotear!

Poderá ainda contar com mais de 60 cajueiros, mangos, jardim tropical, pátio, zona de lazer junto da piscina, forno exterior, poço para rega, furo a 176m de profundidade, depósito de água, duas entradas, arruamentos interiores e circundantes, entres outros.

A piscina, com 17m de comprimento, possui 11m de largura e chega aos 2,20m de altura.

O edifício, com uma área de implantação de 214m² e dois pisos, conta com dois apartamentos T2 por andar, com as seguintes características:

1º piso:

Apartamento A

– 2 quantos

– 1 wc

– Sala

– Kitchenette

– Varanda

Apartamento B

– 2 quantos (um é suite)

– 1 wc

– Sala

– Kitchenette

– Varanda 

R/C

Apartamento C

– 2 quantos

– 1 wc

– Sala

– Cozinha

Apartamento D

– 2 quantos (um é suite)

– 1 wc

– Sala

– Cozinha

Todos os apartamentos estão equipados com ar condicionado.

 

A 5 minutos do centro de Bissau e atendendo a escassez de oferta para o mercado de arrendamento e/ou turístico, este pode bem ser o seu futuro empreendimento!

Não espere mais e faça-nos chegar a sua proposta!

Senhor(a) investidor(a),

Para potenciar o conhecimento da realidade guineense, análise e visita ao imóvel, oferecemos estadia em hotel 3 estrelas em regime de pensão completa, tratamento de obtenção de visto e toda a logística aeroportuária, incluído transfere aeroporto-hotel, hotel-aeroporto.

Armazém – Bissau

A Guiné-Bissau é um País com excelentes potencialidades em matéria de investimento, tendo em conta as suas riquezas naturais e o estado virgem em que se encontram certos setores de atividade econômica bastante atrativos e promissores.

Com uma taxa de crescimento populacional de 2% ano, a terra de Amílcar Cabral é também um porto de entrada no mercado da União Econômica e Monetária Oeste Africana (UEMOA), com mais de 72 milhões de consumidores (população 112 milhões).

“O pessimista vê dificuldades em cada oportunidade; o otimista vê oportunidade em cada dificuldade.”

É com este pensamento de Winston Churchill que apresentamos um fabuloso pack de 3 armazéns junto ao porto marítimo da cidade de Bissau, na Guiné-Bissau, que poderão ser comercializados individualmente ou em conjunto.

Armazém A = 366m2 + 216m2 (pátio)  → 165.000€

Armazém B = 366m2 + 216m2 (pátio)  → 165.000€

Armazém C = 470m2                             → 215.000€

Estes armazéns constituem uma oportunidade única para investir num mercado de grande potencial atual e futuro uma vez que aos 1,8 milhões de habitantes da Guiné-Bissau, juntam-se agora mais 1,2 milhões de pessoas provindas da Guiné-Conacri.

Deste modo, para além de poder explorar um mercado praticamente “virgem” como é o da Guiné-Bissau, lançando artérias comercias via UEMOA, estes armazéns possibilitam ainda uma extraordinária poupança no que aos custos de transporte diz respeito.

Pese embora o facto de a instabilidade política se manter desde o tempo da sua independência, a Guiné-Bissau, para além de integrar a Organização Mundial do Comércio e a CEDEAO, estabeleceu Acordos bilaterais com Portugal, pelo que poderá contar com:

– Promoção e Proteção Recíproca de Investimentos

– Ausência de Dupla Tributação

Contudo, convém referir que a economia predominante é a economia paralela e que a população, com mais ou menos instabilidade política, mantem o seu quotidiano e carece dos mais diversos bens para além dos alimentícios.

Conte ainda com incentivos fiscais e aduaneiros previstos no Código de Investimento e que depende da verificação de dois requisitos cumulativos:

  • investimento previsto igual ou superior a 34 mil dólares americanos; e
  • que vise a criação de uma nova atividade ou empresa, a renovação de equipamentos ou a expansão, modernização ou a diversificação de atividades existentes (artigo 11º do Código do Investimento). Todavia, apenas beneficiam de incentivos fiscais, os projetos de que visem pelo menos um dos seguintes aspetos:
  • A criação de nova empresa ou atividade;
  • A expansão, modernização ou diversificação de atividades já existentes;

 

No que às oportunidades consiste, destacam-se aqui alguns exemplos:

Alimentação e bebidas

No que ao comércio diz respeito, existem diversos empresários que se dedicam à importação de produtos alimentares. Apesar de se encontrar no mercado produtos portugueses, existe espaço para uma maior variedade, nomeadamente do segmento gourmet, aproveitando a presença de uma classe média-alta com poder de compra e acostumada a consumir produtos estrangeiros.

Peças para automóveis

Considerando a ausência de variedade de peças disponível, é forçoso aguardar que as encomendas cheguem do exterior. Teria sucesso um estabelecimento que mantivesse um stock de peças que desse resposta às necessidades locais com prontidão. Isso é tão mais válido quanto as necessidades são urgentes, como no caso das peças para veículos pesados durante a campanha do caju: sendo o número de veículos disponíveis limitado, cada avaria tem de ser resolvida com urgência, para não se perder a rentabilidade que se obtém do aluguer do transporte.

Produção avícola

Não existem aviários (apenas algumas explorações familiares, pequenas e insuficientes) e o País está dependente em diversos produtos do exterior, sendo um deles o frango do dia, um bem altamente consumido na Guiné-Bissau.

Restauração

Bissau tem conhecido um crescimento significativo na oferta de restauração, com a abertura de dois restaurantes libaneses, além da oferta guineense, portuguesa e italiana disponível, apesar de não existirem ainda restaurantes de excelência. No entanto, no que diz respeito ao resto do País, não existem restaurantes nem snack-bares ao longo das principais estradas, obrigando quem viaja a precaver-se com alimentos. Destacam-se a estrada para o Norte (Bissau-Safim-Ingoré-São Domingos), que tem alguma intensidade de trânsito, sobretudo de quem vai a caminho do Senegal (sobretudo Ziguinchor ou Cap Skiring) ou da Gâmbia; e a do Leste, por Nhacra-Bambadinca, flectindo para o Sul, para Xitole ou para o Leste, para Bafatá ou Gabú.

Indústria Metalomecânica

A reparação naval e a metalomecânica ligeira já conheceram a excelência na Guiné-Bissau. Sendo a metalomecânica ligeira responsável pelo fabrico de utensílios de trabalho no campo e outros fatores de produção que induzem a melhoria dos rendimentos do trabalho agrícola e na construção civil, a não operacionalidade desta atividade conduz a uma importação deste tipo de produtos e a uma diminuição da produtividade nos setores dela dependentes. A saída desta situação passa pela criação de empresas deste setor e alienação da participação do Estado nas empresas do ramo. A reparação e construção naval é uma das prioridades para um país que se quer voltado para o mar. A falta de uma política credível para o setor tem adiado o relançamento da única empresa guineense do ramo, participada pelo Estado, a Guinave.

Material de construção/elétrico

No mercado informal do Bandim há numerosas lojas de materiais de construção, onde os mais procurados são os de origem portuguesa; esta informação é válida também para o material elétrico. Os bens de proveniência portuguesa são, como habitualmente, preferidos; e apesar de a oferta ser numerosa, a variedade é reduzida.

Turismo

De acordo com os dados publicados pela Organização Mundial de Turismo (OMT), em 2015 entraram nas fronteiras da Guiné-Bissau 43.800 turistas, o que correspondeu um acréscimo de 17,6% face ao ano anterior. Quanto às receitas geradas, estas atingiram 27,2 milhões de USD em 2013 (último ano com dados disponíveis). Na Guiné-Bissau faltam as estruturas para acolher turistas. Existem algumas unidades hoteleiras em Bissau, bem como no Arquipélago dos Bijagós. Todavia, são insuficientes as ligações marítimas, assim como a rede rodoviária, sobretudo na capital. São também necessários investimentos ao nível da saúde e, sobretudo, de divulgação do potencial do País, quanto ao ecoturismo, turismo cinegético, entre outros.

Preço

O fator preço é sempre uma dificuldade num país onde os ordenados são maioritariamente baixos (cerca de £50,00 de ordenado mínimo mensal).

Realce-se que os produtos portugueses são preferidos pela sua conotação com a qualidade e durabilidade, ainda que sejam marginalmente mais caros.

Senhor(a) empresário(a), a Guiné-Bissau é “terreno fértil” para alavancar o seu negócio!

Para potenciar o conhecimento da realidade guineense e analisar as possibilidades de investimento / exploração, oferecemos estadia em regime de pensão completa, carro com chauffeur para visita aos imoveis, tratamento de obtenção de visto e toda a logística aeroportuária, incluído transfere aeroporto-hotel, hotel-aeroporto.

Motivo de venda: Idade avançada do proprietário / questões de saúde.

Outras informações uteis em:

http://www.aelg.pt/

http://www.aicep.pt/

http://www.consulado-pt-gb.org/

Pauta aduaneira UEMOA:

http://www.portugalglobal.pt/PT/Biblioteca/InformacaoEconomicaRegulamentar/Anexos/Guine-BissauPautaAduaneira2018.pdf

Câmbio: 1EUR = 655,957 XOF (paridade fixa face ao euro)